picture

Ramo de comunicação visual segue em ritmo de alto crescimento

1Transformar a fachada de um estabelecimento pode trazer muito mais benefícios do que apenas a questão visual. O comércio, renovado, atrai atenção dos clientes e aumenta a credibilidade, com maior interesse em conhecer o interior do local.

Manter sempre o bom aspecto da fachada de uma loja é fundamental para que o cliente possa se sentir bem quando entra no estabelecimento. Em grandes centros comerciais, pontos com fachadas mais instigantes, atrai não só olhares, como também mais visitas.

Com um maior fluxo de visitantes, o faturamento também tende a aumentar, recuperando assim a curto prazo o investimento feito na construção ou reforma da fachada.

O ramo de comunicação visual está intimamente ligado ao setor de construção e reforma de fachadas. Suas impressoras de grande formato colaboram na execução da tarefa. Uma boa impressão reforça a marca, que fica na cabeça do cliente.

A Solugraf trabalha para deixar em evidência os principais valores das empresas parceiras. Saiba mais sobre nossos serviços clicando aqui!

 

abril 1, 2016 Dicas 0 Comments

Por que devo fazer meus logos em vetor?

Nesse post, vamos aprofundar um pouco mais sobre o principal uso do software: ferramenta de desenho vetorial.

vetorXbitmap

Existem duas maneiras de criar imagens digitais: bitmap e vetor.

Bitmaps (ou raster) são as imagens como vemos a maior parte do tempo, são as fotos tiradas nas câmeras digitais e celulares, montagens feitas no Photoshop, entre outras imagens que convivemos diariamente.

A definição de bitmap pode ser simplificada como “pixels mapeados”, ou seja, dentro de qualquer imagem desse tipo, você irá encontrar milhares ou milhões de pixels (quadradinhos que armazenam informações de cor e luminosidade), onde juntos formam a imagem final.

Já as imagens vetoriais são compostas por cálculos matemáticos feitos pelo próprio computador.

Imagine uma linha de 10 centímetros. Se essa linha foi feita como uma imagem bitmap, entre um ponto e outro, o programa irá criar o número necessário de pixels para que ela fique com a qualidade desejada.

Essa mesma linha, se for feita como um vetor, você apenas define qual é o ponto inicial e qual é o ponto final. A linha em si será criada matematicamente entre esses pontos, onde no cálculo será levado em consideração a largura, comprimento e ângulo da linha, caso ela seja curva.

E por que vetor?

vetor

Quando criamos um logo, ele será utilizado pelo cliente em qualquer situação. Ele pode solicitar o logo para um cartão de visitas, mas também pode solicitar que esse mesmo logo fique estampado em um grande outdoor.

Quando trabalhamos com imagens bitmaps, elas tem um tamanho físico já definido. Qualquer alteração desse tamanho irá alterar a sua qualidade.

Alterações nessa disposição dos pixels pode fazer com que novos pixels sejam criados pelo computador, criando assim informações indesejadas, como uma imagem borrada, ou toda quadriculada.

Como os vetores são compostos por cálculos matemáticos, você pode multiplicar um número infinitas vezes e ele continua sendo um número. Pensando assim, se você multiplicar o tamanho da linha do tópico anterior em 3, 4, 5 vezes, ela continua sendo uma linha com a mesma curvatura, espessura e cor de antes.

Devo usar imagens vetoriais em tudo então?

pixels

Tudo depende do objetivo do seu trabalho

Para logos, é essencial que seja feito em vetor, para que não tenha retrabalho, precisando fazer tudo de novo para uma impressão maior.

Ilustrações que não tem necessidade de serem fotorrealistas também podem ser feitas em vetor, porque isso facilita até uma possível utilização em animações, vídeos e etc.

Impressos utilizam dos dois mundos. Enquanto para o layout, a utilização de vetores é mais interessante, para que possa ser utilizado em diferentes peças. As fotos que serão inseridas nas peças não serão convertidas automaticamente para vetor, elas irão continuar sendo bitmaps. Por isso o Illustrator, InDesign, entre outros, tem a capacidade de trabalhar com os 2 formatos de imagens e aproveitar o melhor de cada.

Fotos já são imagens bitmap, então as montagens e aplicações de efeitos pedem a utilização de programas específicos, a base de bitmap, como o Photoshop.

Dica!

Quer ver como é a composição de logos de empresas famosas? Use o site brandsoftheworld.com(ou similares) e abra esses arquivos no Illustrator ou CorelDraw. Assim você consegue ver cores, formas utilizadas e mergulhar na marca.

Fonte: Designerd

 

abril 1, 2016 Uncategorized 1 Comments

A importância da fachada para empreendimentos comerciais.

Sendo a fachada o primeiro elemento arquitetônico em contato com o público-alvo, esta pode se tornar uma importante ferramenta para transformar um pedestre, um motorista, ou até mesmo um passageiro em cliente potencial.

Sim, nós estamos entrando num assunto amplamente discutido nos dias atuais que é a relação entre comunicação visual, marketing e arquitetura.

Para os empreendedores eis a dica útil: um ambiente bonito, funcional e confortável favorece o bom desenvolvimento do trabalho dos funcionários de uma loja e estimula as compras por parte dos clientes.

Isso se aplica a todas as áreas, do serviço à fachada, inclusive. Esta é pois a palavra chave quando se fala de fachadas para uma loja: comunicação. A fachada será tão mais eficiente como elemento de apoio às vendas, quanto maior for sua capacidade de comunicar às pessoas tudo aquilo que a loja que lhe está por trás pode potencialmente oferecer.

Eventualmente, uma limpeza básica deve ser suficiente. Se já houver sinais de deterioração, porém, é recomendável que se providencie uma reforma, nem que seja apenas um retoque na pintura – para que a fachada continue com seu grande poder de comunicação. É indispensável, portanto que os elementos da fachada sejam de fácil manutenção e que o acesso a eles seja prático.

A tão temida poluição visual, portanto, é a inimiga número 1 de um bom projeto. Não queremos dizer que estas formas de comunicação e faturamento são erradas, muito pelo contrário, podem contribuir positivamente para o negócio, desde que guardados certos limites.

A iluminação bem programada e calculada, claro, também faz parte do rol de pontos interessantes da lista. Muitos empreendedores apostam em uma iluminação errada, excessiva ou modesta demais… falta cálculo, precisão e criatividade. Muitos copiam o que o vizinho fez e de repente caem no erro da repetição ou inadequação à seu tipo de fachada.

Venhamos e convenhamos, muitos deixam de lado o profissional da área nessas horas e o resultado fica assim… chega a doer nos olhos de quem entende da coisa e o cliente em si não sabe onde está o defeito, mas simplesmente não gosta e ponto final.

Um bom Projeto de Arquitetura para a fachada de uma Unidade de Varejo também deve buscar ao mesmo tempo relacionar a loja com a vizinhança, sem agredi-la, sem causar transtornos desnecessários aos vizinhos (que enfim, são clientes também) mas também fazendo com que a edificação marque sua presença e seja rapidamente identificada pelo público consumidor como uma Unidade de Varejo competitiva.

Projetar espaços e ambientes comerciais é pensar num universo de pessoas muito mais vasto, o que requer a aplicação de conhecimentos específicos sobre marketing, atendimento, comportamento e merchandising para viabilizar um projeto coerente.

Muitos donos de lojas não entendem, entretanto, que o seu gosto pessoal não está em questão neste momento. A viabilidade do projeto para a satisfação de uma gama de clientes é que deveria ser o ponto-chave da discussão e o grande propulsor das decisões que envolvem “estética e funcionalidade”. Muitos caem no erro e vêm as premissas: “eu gosto disso, eu gosto daquilo… eu não gosto assim…”. E nós profissionais pensamos:”Mas quem tem que gostar é o cliente, não você, com todo respeito.” Afinal, o que mais importa? Vender, lucrar? Sim, para tudo isso existe estudo, técnica, conhecimento especializado. Os profissionais não são levados a sério … e isto é um erro grave.

As técnicas possíveis de serem articuladas são muitas e visam a provocar atitudes nos clientes ou consumidores, baseando-se no estudo do comportamento humano. Por exemplo: os homens, quando entram num novo espaço, tendem a virar à direita; as mulheres, à esquerda. Se estivermos a projetar um espaço comercial, devemos considerar os conhecimentos comportamentais, fazendo com que o usufruto do espaço seja o mais natural e familiar possível.

Todos estes parâmetros podem ser usados em qualquer tipo de arquitetura comercial, desde lojas pequenas a stands em feiras ou em grandes lojas de rua, shoppings, etc.

Ambientes renovados com adesivos

Seja na parede, num móvel ou até na janela, os adesivos são ótimas opções para renovar um ambiente de forma prática e econômica. A Solugraf personaliza, confecciona e instala estes adesivos com qualidade e profissionalismo. Inspire-se!

01-ambientes-renovados-com-adesivos

As paredes desta cozinha curitibana eram brancas e sem graça. Para dar uma renovada no visual, a moradora resolveu investir em um mosaico composto por 48 estampas de adesivos que imitam azulejos vintage.


 

02-ambientes-renovados-com-adesivos

A graça desta sala vem de uma combinação simples: a base neutra, que mescla branco, amadeirado e tons pastel, almofadas alegres e um adesivo que cobre toda a parede atrás do sofá.


 

04-ambientes-renovados-com-adesivos

Após ter a frente das portas e gavetas encapadas com adesivo vinílico, o velho gabinete virou a atração da cozinha deste apartamento em São Paulo. Modelos estampados podem ser comprados em qualquer papelaria.


05-ambientes-renovados-com-adesivos

Os principais itens desta área de serviço são brancos. A graça está na alvenaria tingida de azul, que serve de fundo para os adesivos de bolhas de sabão. Projeto da designer de interiores Letícia Laurino Almeida.


06-ambientes-renovados-com-adesivos

Sem quebra-quebra, o patchwork que é a sensação desta cozinha foi produzido com tecido adesivo impermeável. O segredo para conquistar uma combinação harmoniosa foi buscar um elo entre as estampas. Projeto de Neto Porpino.


07-ambientes-renovados-com-adesivos

As gavetas, que seriam descartadas, tiveram outro destino: ganharam destaque na parede depois de serem transformadas com tinta e tecido estampado. E não é que ficou uma delicadeza?


08-ambientes-renovados-com-adesivos

O banheiro da blogueira Thalita Carvalho exibe adesivos coloridos aplicados nos azulejos – ela escolheu as imagens e mandou imprimir na gráfica do bairro. Do lado de fora, a parede recebeu tinta que dá a impressão de um quadro-negro.


09-ambientes-renovados-com-adesivos

Dez deques forram o piso desta varanda. Para preencher o trecho restante, o arquiteto Glaucio Gonçalves optou por seixos mesclados. Os adesivos com desenhos de flores e pássaros foram criados pela arquiteta Mayara Christy.


 

10-ambientes-renovados-com-adesivos

Além da persiana de madeira, o que mais chama a atenção na janela do home office do apartamento do arquiteto Neto Porpino são os adesivos no vidro: comprados no exterior, eles imitam vasos de suculentas e cactos.


11-ambientes-renovados-com-adesivos

Quando Eva Caroline, do blog As Peripécias de Eva, se deparou com a parede em branco, não teve dúvidas: imprimiu 70 fotos que retratam momentos especiais de sua vida e montou um painel que chama a atenção de todos que entram em seu quarto


 

12-ambientes-renovados-com-adesivos

As cadeiras Panton e Lucite fazem parceria com a mesa de laca nesta sala de jantar. Assinado pela designer alemã Antonia Kuehn, o adesivo da parede, da Diz Decor, foi encontrado pela moradora na internet.Projeto de Carla Basiches.


 

13-ambientes-renovados-com-adesivos

Quem vence os degraus mantidos no charmoso granilite original se surpreende com a letra da música Something, dos Beatles, em um adesivo que acompanha a inclinação do corrimão. Projeto de Ana Maria Queiroga.


 

março 23, 2016 Design 0 Comments

A importância da comunicação visual para o sucesso de um negócio

Título

Você já parou para pensar na importância do design para o mercado corporativo? A identidade visual de uma empresa define não apenas a primeira impressão que um público terá dela, mas é responsável pela imagem que ela transmite aos seus públicos de interesse, é como ela é vista.

Em um mercado cada vez mais concorrido, com produtos e serviços semelhantes em todo lugar, uma comunicação visual de qualidade pode fazer toda a diferença no sucesso de um negócio. Um design agradável, criativo e marcante instintivamente convida o cliente, gerando interesse. Da mesma forma, um design “simplório” e “pobre” gera afastamento e desinteresse.

Ilustração-1

 

O chamado LOGO (logotipo) é o símbolo da empresa, isto é, transmite seus valores, ideais e conceitos. Esta “imagem” é o primeiro contato que o consumidor/cliente tem com uma marca/corporação. Assim, é fundamental que ela realmente traduza a “personalidade” da empresa, de forma criativa, expressiva e de fácil assimilação.

Ignorar a importância da comunicação visual é fechar portas para a obtenção de novos negócios, podendo gerar, inclusive, uma imagem de “amadorismo” ou “despreparo” para a empresa. Há quem considere o investimento em design (logotipo, website, cartão de visitas e material gráfico) muito alto para um prazo relativamente curto, no entanto, bons exemplos comprovam que, a médio/longo prazo, tal investimento torna-se decisivo nos lucros, uma vez que o visual agrega valor à marca e gera proximidade com os clientes, diferenciando uma empresa das demais.

Ilustração-2

 

Fonte: Quartel Design